Telesíntese

WND busca novos parceiros para estimular aplicações em rede de IoT

A WND não deverá ter problemas de cumprir sua meta de encerrar 2018 com uma rede sem fio para aplicações de IoT cobrindo 95% da população brasileira. Ela já trabalha com a projeção de que um ano antes, em dezembro de 2017, sua infraestrutura estará cobrindo mais de 100 milhões de pessoas, ou quase 50 % da população. Enquanto expande fisicamente sua rede, a operadora também quer avançar no número de parceiros para estimular o desenvolvimento de novas aplicações de Internet das Coisas.

inova

WND quer conectar coisas à internet com baixo custo

Pessoas querem cada vez mais capacidade na conexão à internet. Objetos como sensores e medidores, por outro lado, não consomem grandes volumes de dados. Eles precisam de soluções de baixo consumo de energia e de baixo custo. A WND é responsável pela operação dos serviços da SigFox na América Latina e no Reino Unido. A SigFox é uma tecnologia de rede de longo alcance e baixa potência (LPWAN, na sigla em inglês). No Brasil, a WND cobriu 12 regiões metropolitanas e propriedades rurais no Mato Grosso.

Teletime

Simplicidade: o segredo da rede IoT da WND

Simplicidade e agilidade. Com essa fórmula foi possível à WND, uma operadora de telecom especializada em Internet das Coisas, desenvolver uma rede que já cobre 80 milhões de pessoas em 100 cidades, e deve chegar a 85% do PIB, ou 100 milhões de pessoas, até o ano que vem.

Convergência Digital

Rede nacional de IoT negocia com teles e busca canais no País

“Internet das Coisas é para esquecer tudo que se conhece de telecomunicações”, afirma o CEO da WND Brasil, Francisco Cavalcanti. A empresa recém ativou a primeira rede nacional de Internet das Coisas, presente em 100 cidades e que demandou um investimento de US$ 50 milhões. Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, Cavalcanti disse que as teles estão negociando com a WND Brasil. “Elas perceberam que somos um complemento. Que nossa solução pode ser inserida dentro da carteira delas.”