WND Brasil lança rede nacional pública de baixo custo dedicada à Internet das Coisas – IoT

  • Cobertura atende 80 milhões de pessoas em 100 cidades e 12 regiões metropolitanas
  • WND e MCTIC irão assinar termo de colaboração para fomentar projetos de IoT


Brasília, 18/09/17 –
Em evento conjunto com MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a WND Brasil lançou nesta terça-feira (19/09) sua rede nacional pública dedicada à Internet das Coisas. São cerca de 100 cidades brasileiras já cobertas, incluindo as principais regiões metropolitanas, alcançando uma população de cerca de 80 milhões de pessoas.

Com um investimento de US$ 50 milhões, a WND Brasil irá cobrir, até o final de 2018, 80% do PIB Nacional. Em Brasília, a rede está suportada por diversas estações que atendem a Capital Federal e cidades vizinhas.

Termo de Colaboração

Um termo de colaboração será também assinado entre a WND Brasil e a Secretaria de Política de Informática do Ministério. Este documento irá permitir a adoção de uma série de medidas para, entre outras coisas, fomentar o debate, ampliar o intercâmbio de informações e gerar confiança nas aplicações de internet das coisas no Brasil.

O termo de colaboração vai concretizar a intenção da WND e do MCTIC de desenvolver ações articuladas para achar novas possibilidades de cooperação e implementação de projetos conjuntos de pesquisa e desenvolvimento no âmbito de IoT.

Objetivos do termo de colaboração

O lançamento da rede permitiu que a WND e MCTIC definissem os objetivos dos termos de colaboração para dinamizar a internet das coisas no Brasil. Um dos objetivos mais importantes é atuar para o surgimento de uma infraestrutura de rede que permita fornecer alternativas de conectividade de baixo custo para o mercado de IoT.

Um dos grandes potenciais da Internet das Coisas é a agricultura de precisão, e sabidamente o agronegócio é um grande propulsor do país”, afirma o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão. “Soluções desenvolvidas no Brasil nesse setor serão ofertadas em todo mundo. Dessa maneira, levar infraestrutura de rede a cerca de cem cidades no país contribuirá com o setor e o desenvolvimento das aplicações em IoT“, finaliza o secretário.

Para a WND é uma honra poder ofertar uma alternativa de muito baixo custo para o desenvolvimento de internet das coisas no Brasil. Estamos prontos para colaborar com o País com uma rede nacional dedicada e pública que oferece baixo custo de conectividade, baixo consumo de energia e escala global”, afirma o COO do Grupo WND, Alexandre Reis.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações prepara, com o apoio da consultoria Mckinsey e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o Plano Nacional de Internet das Coisas, definindo setores prioritários, articulação de políticas públicas e identificando os potenciais do setor de IoT no Brasil.

Tecnologia da rede Sigfox da WND Brasil

Para apresentar as funcionalidades da tecnologia SigFox, a WND Brasil conduziu um workshop que envolveu executivos e técnicos do MCTIC na sede do Ministério, em Brasília.

No evento, foram destaques os diferenciais da rede SigFox, tecnologia LPWA que, em todas as suas vertentes – desde o chipset, equipamentos de transmissão, consumo de energia e custos de conexão, entre outros –  foi planejada para ser de baixo custo.

Assim, conectividade com baixo custo, baixo consumo de energia e escala global são diferenciais de uma rede que podem permitir a adoção massiva de internet das coisas em diversos setores da economia brasileira, entre eles agronegócios, saúde, segurança, logística e cidades conectadas.

Galeria de Fotos – Evento no MCTIC